Até a próxima sexta-feira (20), os produtores rurais colatinenses podem se inscrever para o 1º Concurso Leiteiro, que será realizado pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (Semder) do município, de 1º a 31 de outubro. As inscrições estão sendo feitas desde o dia 02 de setembro, na própria Semder.

De acordo com a Secretaria, o grupo campeão de cada categoria será premiado com R$ 1 mil, o vice com R$ 700, e o terceiro lugar, com brindes. A entrega da premiação será realizada no dia 22 de novembro na Feira de Animais, em Colatina.

O secretário Izidoro Rodrigues disse que “o concurso incentiva os produtores rurais que no dia a dia enfrentam muitas dificuldades para se manter em suas propriedades, e principalmente, não conseguem melhorar a baixa produtividade de leite” destacou.

Regulamento
Conforme o regulamento do Concurso, é determinada a participação de grupo composto por cinco animais de cada produtor, valendo para efeito de classificação o peso total em uma ou duas ordenhas. O produtor poderá inscrever sete animais, e refugar dois animais no ato da ordenha.

Os animais serão classificados em três categorias, de acordo com o regime de ordenhas e com o tipo de alimentação. A primeira categoria, é definida pela realização de uma ordenha pela manhã para animais à pasto; a segunda, com duas ordenhas pela manhã e à tarde para animais à pasto; e na terceira duas ordenhas, manhã e tarde para animais alimentados com silagem.

No ato da inscrição da propriedade concorrente deve ser fornecido o nome do ordenhador, não podendo substitui-lo durante o concurso, e ainda citar o regime de ordenhas e o tipo de alimentação.O esgoto (primeira ordenha) será realizado no dia anterior a ordenha oficial às 7 horas nas propriedades que utilizam regime de uma ordenha, e às 14 horas nas que fazem duas ordenhas.

A ordenha oficial com a pesagem do leite será feita às 7 horas da manhã (para uma ordenha) e 7 e 14 horas (para duas ordenhas) no dia seguinte. As vacas que não estiverem acompanhadas de suas crias por ocasião do esgoto, permanecerão assim na ordenha oficial. As vacas e suas crias serão identificadas.

Após a esgota dos animais com bezerro ao pé, estes deverão ser soltos para a ordenha total. Nos animais sem bezerro ao pé, a esgota total será conferida pelo fiscal. Será permitido o uso de medicamento (ocitocina) nos animais concorrentes, desde que aplicado no momento do esgoto e também da ordenha, na mesma dosagem e concentração conferidas pelos fiscais.

No ato da esgota, cada fêmea será identificada. Assim como terá em cada ordenha um elemento técnico (Fiscal) que acompanhará todo o processo da ordenha. Todo o leite produzido de cada ordenha será pesado individualmente e recolhido em latões e dado o destino de praxe da propriedade.

O bezerro só poderá permanecer junto à mãe uma única vez para o pojo (estímulo do bezerro para que a vaca produza leite), não sendo permitido outro repasse. O ordenhador deverá passar o leite produzido direto ao fiscal responsável para fazer a pesagem oficial, que irá conduzir o alimento ao latão de recolhimento.

Para que não haja dúvidas, antes do início das ordenhas, os baldes e/ou latões deverão ser colocados de fundo para cima. A duração da ordenha de cada vaca será de 15 minutos no máximo, aceitando-se ordenha manual ou mecânica, porém com apenas uma opção por vaca.

Serão premiados os grupos de animais que obtiverem a maior quantidade de leite (peso líquido). Em caso de empate será classificado o lote que tiver um animal com a maior produção entre si. Cada produtor só poderá concorrer em um a categoria, definida no ato da inscrição.

Os casos omissos ao regulamento serão decididos e esclarecidos pela Comissão Organizadora, formada por representantes da Semder, Incaper, Aprucol (Associação dos Produtores Rurais de Colatina), Cooaprucol (Cooperativa da Aprucol), Idaf (Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal), Laticínios Colatina, Sindicato Rural, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Instituto Terra e Ifes (Instituto Federal do Espírito Santo) Campus Itapina.